Widget Image
Secretarias
02/12/2022
HomeSegurançaQueixas de moradores sobre protestos motivam reunião entre Prefeitura de Itu e Exército

Queixas de moradores sobre protestos motivam reunião entre Prefeitura de Itu e Exército

Foto da fachada do Regimento Deodoro

Além dos problemas com o tráfego de veículos, munícipes reclamam de barulho, sujeira, mau cheiro e até surgimento de ratos nos dias de aglomeração

Na última segunda-feira (07/11), representantes da Prefeitura se reuniram com oficiais do Quartel de Itu para estudar maneiras de organizar o trânsito na Praça Duque de Caxias e arredores, que vem sendo prejudicado com a presença de manifestantes desde a divulgação do resultado da eleição presidencial no Brasil. Além dos problemas com o tráfego, o encontro serviu para que fossem debatidas queixas de munícipes acerca de outros transtornos causados pela aglomeração de pessoas no local.

Uma das decisões foi a da colocação de cones de trânsito em frente ao Quartel para que não haja mais o estacionamento de veículos diante do prédio, permitindo, desta forma, a livre passagem do fluxo viário. A medida se faz necessária já que a Praça Duque de Caxias é um corredor fundamental de ligação entre importantes avenidas, como a Dr Octaviano Pereira Mendes e Dr Ermelindo Maffei, com a região central da cidade.

Fora o fato de colocar em risco os pedestres que circulam pela área, a obstrução do local por manifestantes vem criando problemas de fluidez no trânsito, como atrasos de pessoas a caminho de seus trabalhos e congestionamentos nas proximidades. Outro fator observado foi o desrespeito às normas de preservação patrimonial, flagrado com o estacionamento de ônibus e até caminhões diante do imóvel histórico do Regimento Deodoro, que é protegido por normas de tombamento.

O encontro entre o Poder Público Municipal e os militares avaliou ainda as inúmeras queixas de moradores da cidade, que relatam incômodos causados com a multidão presente nos dias de protesto na Praça do Quartel. Há reclamações sobre barulho excessivo, proveniente de equipamento de som, “buzinaço” (solicitado pelos manifestantes por cartazes) e fogos de artifício, inclusive durante o Dia de Finados. A fiscalização da Prefeitura registrou, em momentos de pico, a superação do limite de decibéis (65db) permitidos no município e intensificou a vigilância quanto ao uso de fogos que produzam poluição sonora.

A lista de transtornos descrita pela vizinhança, formada em sua maioria por pessoas idosas, traz a ocorrência de mau cheiro, sujeira, despejo inadequado de resto de alimentos, cidadãos urinando em postes e até o surgimento de ratos. Houve também o pedido de providências no sentido de restringir o estacionamento volumoso de veículos em quadras residenciais próximas ao Quartel que, em alguns casos, foram deixados por seus condutores na frente de garagens, sobre calçadas e em cima de faixas de pedestres.

A interferência do protesto afetou a rotina de fiéis habituados a frequentarem as missas na Igreja de São Luiz Gonzaga, que lamentaram a dificuldade de acesso ao templo religioso e a indisponibilidade de vagas. As autoridades municipais apontam ainda a incidência de irregularidades no uso do espaço público com a montagem de barracas e foodtrucks sem prévia autorização.