Widget Image
Secretarias
26/01/2020
HomeSaúdeMês Mundial da Doença de Alzheimer prossegue com palestra na sede do Grupo da Melhor Idade

Mês Mundial da Doença de Alzheimer prossegue com palestra na sede do Grupo da Melhor Idade

Na manhã desta segunda-feira (21/09), na sede do Grupo da Melhor Idade, dando sequência à programação especial para o Mês Mundial da Doença de Alzheimer, a geriatra Naiara Silvestre Ribeiro e a psicóloga e representante em Itu da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz), Eliana Albertini, ministraram palestra de orientação sobre a doença.

A programação especial para o Mês Mundial da Doença de Alzheimer está sendo desenvolvida por representantes da Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz) e da Home Angels – Cuidados de Pessoas, com apoio da Secretaria Municipal da Saúde.

A primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade de Itu, Zélia Vaccari Gomes, agradeceu às profissionais e comentou sobre a importância daquele encontro, do qual participaram representante da Home Angels – Cuidadores de Pessoas e profissionais do Grupo da Melhor Idade, do Centro de Convivência Dia para Idosos e do Projeto Quero Vida, serviços da Prefeitura que prestam assistência a idosos no município de Itu.

Outras atividades serão desenvolvidas para alertar a população sobre os sinais de alerta do Alzheimer. Nos dias 24, 25 e 26, das 12h às 22h, e no dia 27, das 13h às 20h, no Plaza Shopping Itu, haverá orientação e entrega de folhetos informativos sobre Alzheimer.

Também para divulgar o Mês Mundial da Doença de Alzheimer houve orientação sobre a doença no Ambulatório de Especialidades Médicas (AEM) e no Projeto Vida em Movimento, na Avenida Galileu Bicudo.

Alzheimer

A doença de Alzheimer, segundo a ABRAz, é uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, mas que pode e deve ser tratada. Ainda de acordo com informações da Abraz, a doença se apresenta como demência ou perda de funções cognitivas (memória, orientação, atenção e linguagem), causada pela morte de células cerebrais. Quando diagnosticada no início, é possível retardar o avanço da doença e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família.

As pessoas com Alzheimer podem apresentar comportamentos não comuns ou exacerbarem características prévias à doença. Essas mudanças não costumam ser associadas, de imediato, a sintomas da doença, implicando na demora do tratamento. O médico precisa ser informado sobre essas manifestações, já que muitas delas podem ser tratadas também com medicamentos.

Quem tem Alzheimer acaba perdendo uma série de funções que interferem em sua percepção. É comum ainda que apresente dificuldades para dormir, invertendo o dia pela noite. Outra manifestação bastante comum nos pacientes com demência é fazer uma interpretação irreal da realidade. Nas fases avançadas da doença, o paciente pode ter alucinações (ouvir e ver pessoas, objetos, animais e coisas que não existem).

Entre outros sinais de alerta estão a perambulação, a agressividade, a depressão e a ansiedade.

Ações preventivas

Entre as ações preventivas que devem ser adotadas com base em riscos que o paciente com Alzheimer corre, no ambiente domiciliar, estão a colocação de barras de segurança, redes de proteção nas janelas, retirada de tapetes, deixar caminhos livres de obstáculos, a fim de evitar as quedas. Outra medida importante é guardar facas e objetos cortantes longe do alcance dos pacientes para impedir que se machuquem.

Manter medicamentos ou produtos tóxicos longe do alcance do idoso com demência é uma ação importante para que não ocorra intoxicação. Em relação a possíveis queimaduras, uma medida eficaz e preventiva é o monitoramento da temperatura da água do chuveiro, torneira, bidê, da prática de cozinhar, da temperatura de comidas e líquidos, além do controle do uso do ferro de passar roupa.

No tocante à saúde do paciente com Alzheimer é fundamental supervisionar a ingestão de medicamentos para garantir que o tratamento seja feito corretamente, monitorar o sono e hábitos noturnos do paciente, ficar atento ao funcionamento do intestino, monitorar temperatura do paciente e cheiro da urina, acompanhar tarefas de banho e higiene pessoal, garantir a ingestão de líquidos e monitorar a qualidade e quantidade de alimentação. O controle das finanças também merece atenção.

Texto e fotos: Angélica Estrada/Prefeitura de Itu

(21/09/2015)