Widget Image
Secretarias
14/11/2019
HomePlanejamentoItu pleiteia 10º polo de desenvolvimento junto ao Governo do Estado

Itu pleiteia 10º polo de desenvolvimento junto ao Governo do Estado

A cidade, que já faz parte de nove de um total de 11 polos, pretende ser incluída no setor de indústrias de alimentos e bebidas

Nesta semana, o prefeito de Itu, Guilherme Gazzola, esteve pessoalmente na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico em São Paulo solicitando a inclusão de Itu em mais um dos polos de desenvolvimento econômico, anunciados em maio deste ano pelo governador João Dória. Itu, que atualmente já faz parte de nove de um total de 11 polos, pleiteia a participação no polo de indústrias de alimentos e bebidas.
“Cerca de 20% de nosso PIB provém das indústrias de alimentos e bebidas, fato que, por si só, justifica a inclusão de nossa cidade nesta modalidade”, argumenta o prefeito. Guilherme comenta que “com esse suporte do Estado, Itu se beneficiará com treinamentos, capacitações, empréstimo e, indiretamente, com a atração de novas empresas desses setores, reforçando a arrecadação e geração de empregos”.
O prefeito ituano, que estava acompanhado pelo secretário municipal de Planejamento, Plínio Bernardi Júnior, foi recepcionado pelo secretário executivo da pasta estadual, Américo Sakamoto, que se inteirou do pedido, informando que a solicitação é pertinente e será analisada pelo governo de São Paulo.
O município já faz parte dos polos de Saúde e Farma, Metalurgia, Automotiva, Química, Derivados de Petróleo, Biocombustíveis, Têxtil, Agrotecnologia e Papel. A criação dos 11 polos de desenvolvimento econômico, com pacotes de benefícios setoriais para a indústria, tem como objetivo alavancar a produtividade e a competitividade de cada área, impulsionando e melhorando as políticas públicas nas regiões onde as cadeias produtivas estão instaladas.
Dentre as medidas oferecidas pelo Governo do Estado com a formatação dos polos estão a simplificação tributária e regulatória, financiamento competitivo, incentivos à tecnologia e à inovação, qualificação de mão de obra, infraestrutura e serviços, além de adequação de ambiente de negócios e desburocratização de processos.